Centrales Sindicales Irán A Paro General Contra Medidas De Temer

BRASIL | Organización (Sao Paulo – MIE.29.MAR / ESPECIAL Redacción Prensa 24.7) – Centrales sindicales que normalmente están en lados opuestos se unieron el pasado lunes 27 para decidir la convocatoria a paro general de trabajadores para el 28 de abril contra las reformas que vienen siendo impuestas por el gobierno Temer.

Centrais sindicais que normalmente estão em lados opostos se uniram nesta segunda-feira 27 para decidir a convocação de greve geral dos trabalhadores para o dia 28 de abril contra as reformas que vêm sendo impostas pelo governo Temer.

En un comunicado firmado por los presidentes de la CUT, Vagner Freitas; Fuerza Sindical, Paulinho da Força,, UGT, Ricardo Patah, CTB, Adílson Araújo, entre otras centrales, convocaron a “los trabajadores a una paralización de sus actividades, como alerta al gobierno que la sociedad y la clase trabajadora no aceptarán las propuestas de reformas jubilitarias, laborales y el proyecto de tercerización aprobado por la Cámara, que el gobierno Temer quiere imponer al país”.

Um comunicado assinado pelos presidentes da CUT, Vagner Freitas, Força Sindical, Paulinho da Força, UGT, Ricardo Patah, CTB, Adílson Araújo, entre outras centrais, convoca “os trabalhadores a paralisarem suas atividades, como alerta ao governo de que a sociedade e a classe trabalhadora não aceitarão as propostas de reformas da Previdência, Trabalhista e o projeto de Terceirização aprovado pela Câmara, que o governo Temer quer impor ao País”.

“En nuestra opinión, se trata del desmontaje de la seguridad social y del retiro de los derechos laborales garantizados por la CLT. Por eso, acordamos todos, en este día, demostrar el descontento, ayudando a paralizar al Brasil”, expresa el texto. Chequee en su totalidad:

“Em nossa opinião, trata-se do desmonte da Previdência Pública e da retirada dos direitos trabalhistas garantidos pela CLT. Por isso, conclamamos todos, neste dia, a demonstrarem o seu descontentamento, ajudando a paralisar o Brasil”, diz o texto. Confira a íntegra:

NOTA OFICIAL

São Paulo, 27 de março de 2017

Reunidos na tarde desta segunda-feira (27), na sede nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), em São Paulo, os presidentes das centrais sindicais, dirigentes sindicais analisaram a grave situação política, social e econômica que o país atravessa e decidiram que:

Dia 28 de abril: Vamos parar o Brasil

As centrais sindicais conclamam seus sindicatos filiados para, no dia 28, convocar os trabalhadores a paralisarem suas atividades, como alerta ao governo de que a sociedade e a classe trabalhadora não aceitarão as propostas de reformas da Previdência, Trabalhista e o projeto de Terceirização aprovado pela Câmara, que o governo Temer quer impor ao País.

Em nossa opinião, trata-se do desmonte da Previdência Pública e da retirada dos direitos trabalhistas garantidos pela CLT.

Por isso, conclamamos todos, neste dia, a demonstrarem o seu descontentamento, ajudando a paralisar o Brasil.

São Paulo, 27 de março de 2017

Adilson Araújo

Presidente da CTB

Antonio Neto

Presidente da CSB

José Calixto Ramos

Presidente da Nova Central

Paulo Pereira da Silva (Paulinho)

Presidente da Força Sindical

Ricardo Patah

Presidente da UGT

Vagner Freitas

Presidente da CUT

Edson Carneiro (Índio)

Secretário Geral Intersindical

Luiz Carlos Prates (Mancha)

Secretaria Nacional da CSP-Conlutas

Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira)

Presidente da CGTB

Aporte comunicacional:

ESPECIAL Redacción Prensa 24.7

Traducción: Víctor M Rodríguez

29.03.2017 | Organización

Brasil

Noticias relacionadas:

Comparte esta noticia...Share on RedditShare on Google+Email this to someonePrint this page